Prisões e desvio de dinheiro público abrem crise na gestão de Antônio Gomide

Deflagrada em agosto de 2012, a Operação La Plata levou doze pessoas para prisão; cinco conduções coercitivas e vinte e um mandados de busca e apreensão. O foco era a área do meio ambiente da prefeitura de Anápolis. Entre os detidos estavam o vereador do PMDB Weslei Clayton da Silva (acusado de ser o mentor do esquema “mesadinha”) e Luiz Henrique Fonseca Ribeiro, ex-secretario de Meio Ambiente e Agricultura de Gomide (flagrado nas escutas realizadas pelo Ministério publico acertando detalhes de propinas). 

O episódio voltou à pauta este mês por causa do “caso Bretas”. A obra foi feita em uma área de proteção ambiental graças às vistas grossas da Prefeitura e da secretaria de Meio Ambiente. Resultado, o Ministério Público embargou o supermercado no final de 2011, a loja estava, inclusive, com as mercadorias no pátio. Desde então a polêmica vem se arrastando, pois o mesmo Antônio Gomide (PT) que deixou de fiscalizar e permitiu a construção do Bretas naquele local, agora se recusa a assinar um acordo entre as partes. A promotora Sandra Mara Garbelini, disse que ficou decepcionada ao tomar conhecimento de que o prefeito não compareceu à audiência e, ainda, mandou falar que não tem mais nenhum interesse nesse acordo.  Sandra Mara se frustrou ao declarar que “Gomide jogou o trabalho de seis meses na lixeira”.

O vereador Fernando Cunha Neto (PSDB) cobrou uma ação do prefeito, pois “virar as costas ao caso é dar de ombros a população da região do bairro do Bairro Jundiaí e do Jardim Europa/Anápolis City”. Muitos moradores já estavam contratados e com suas carteiras assinadas. A dona de casa Helena dos Santos mora pertinho da obra e reclama do descaso da prefeitura com a região “o córrego deveria ser cuidado pela prefeitura, mas não é, tem cachorro morto e lixo demais, se o prefeito tomasse atitude e o supermercado funcionasse a realidade de nós moradores e do próprio córrego seria outra”. A prefeitura de Anápolis decidiu esperar a decisão final da justiça para evitar mais desgastes com a secretaria de Meio Ambiente.

Compartilhe