Vassil: “Iris diz que seus discursos são longos porque precisa informar aos jovens o que fez. Mas jovem não tem paciência para conversa comprida”

O”comentarista” político Vassil Oliveira cansou-se de torcer pela candidatura de Iris Rezende, o único que ele enxergava em condições de derrotar o governador Marconi Perillo.

Em seu último artigo, no site Diário de Goiás, Vassil dá o braço a torcer reduz a pó a candidatura de Iris.

Ele começa demolindo o mote da campanha irista, o tal do “Amor por Goiás”, que vê como uma grande bobagem: “Tudo se resume a destacar um estado de espírito, de quem ama uma terra digna desse amor. E quem não ama Goiás? E é também o caso de se perguntar: e depois do amor, o que há de concreto para os goianos viverem felizes para sempre?”, pergunta Vassil.
Depois, vem “o discurso repetitivo de Iris, sempre puxando para o passado. Em vez da lembrança excessiva de fatos passados, o que se espera é a referência para a construção do futuro”, observa o “comentarista, fulminando: “O discurso precisava ser menor, objetivo, cheio de charme, anunciando a boa nova de um pujante Goiás. Teria de deixar de lado as longas exposições de motivos, justificadas por Iris como necessidade de lembrar aos jovens de hoje o que ele fez lá atrás. (Logo aos jovens, que pouca paciência têm para conversas compridas)”, prossegue Vassil.

E, no fim, o diagnóstico da derrota que se avizinha: “A campanha de Iris, que deveria ter ido para o norte, acabou tomando o caminho do sul. E errar no rumo é uma coisa; errar o rumo é o tipo de coisa que define uma eleição”.

[vejatambem artigos=” 40917,40930,40940,40948… “]