Professor da UEG publica artigo chamando Caiado de “fóssil político vivo”, “prepotente”, “arrogante” e “anacronismo social”

Em artigo publicado no site Brasil 247, o economista, professor e doutorando da Universidade do Estado da Goiás, Ângelo Cavalcante, analisa o perfil do senador Ronaldo Caiado e afirma que ele foi “desgraçadamente eleito por Goiás no último pleito” e que, “nessas horas, é duro ser goiano”.

O professor explica por quê. “Caiado é um um fóssil político vivo, um anacronismo social que só pode ser compreendido pelo combinado sócio-histórico determinado pela matriz produtiva e econômica de Goiás, seu encetamento com as oligarquias historicamente grileiras e escravocratas e em sempre deletéria e parasitária relação com a apropriação do poder político e estatal goiano”, escreve.

O artigo examina a atuação de Caiado no Congresso Nacional e conclui que não há nenhum resultado positivo a apresentar. Diz Ângelo Cavalcante: “É improdutivo no Congresso e desafio qualquer homem ou mulher de mediano conhecimento a citarem um único projeto proposto por essa múmia política! Apenas um… Não existem! Sabem por quê? Porque Caiado não pensa política pública, não sabe o que é o social, não tem nada que ver com a construção de soluções políticas, sociais e econômicas para milhões de miseráveis desse país igualmente miserável. É tão somente, um agente da pior e mais agressiva manutenção política e econômica de Goiás e do Brasil, portanto, um dínamo da injustiça, da desigualdade e da perversão social do país”.

[vejatambem artigos=” 46501,46448,46383,46003… “]