Roberto do Orion, prefeito eleito de Anápolis, precisa deixar claro a que veio: suas entrevistas não passam de uma profusão de chavões e palavras de ordem, sem nenhuma ideia

Anápolis, Imprensa

O prefeito eleito de Anápolis, Roberto do Orion, do PTB, que era completamente desconhecido até vencer nas urnas, tornou-se figurinha carimbada na mídia desde a proclamação da sua vitória.

Mas o que impressiona é a profusão de chavões e palavras de ordem que Roberto do Orion utiliza, substituindo aquilo que deveria ser sua obrigação como vencedor da eleição e depositário das esperanças dos anapolinos: a apresentação de ideias.

Veja, por exemplo, a entrevista que ele dá ao Diário da Manhã, edição desta terça-feira. A repetição de clichês e bordões, sem nenhuma consistência, chega a ser cansativa.

Olha só, leitor:

– “Não vou parar um minuto a partir de janeiro”.

– “Vou fazer uma gestão nova e criativa”.

– “Vou aplicar corretamente o dinheiro público”.

– “Vou trabalhar muito pela população”.

– “Vou priorizar o desenvolvimento econômico e social”.