Opinião do 24H: morte de Fidel não poderia vir em hora mais oportuna para coincidir e simbolizar o fim melancólico da utopia de esquerda

Em meio à onda mundial de repercussão mundial da morte do ditador cubano Fidel Castro, o blog Goiás 24Horas tem a sua opinião.

Fidel se vai em um momento que incrivelmente coincide com o colapso da esquerda mundial e – por que não? – simboliza o fim amargo e definitivo da ideologia socialista.

O esquerdismo, hoje, está sem chão por toda parte. No Brasil, a roubalheira do PT e a submissão da intelectualidade nacional a um picareta como Lula liquidaram as perspectivas de sobrevivência de um pensamento político supostamente dedicado a construir um mundo melhor.

Um mundo melhor, sim, mas para eles. Para Lula e seus filhos. Para quadrilheiros como José Dirceu e Antônio Palocci. Para uma aberração como Dilma. Para que o PT se tornasse eterno no poder.

Morre Fidel, imagem perfeita do socialismo que nunca poderia ter dado certo. Cuba, no final das contas, nunca passou de uma ilha submetida a uma tirania senil e destrutiva ao extremo.

Compartilhe