“Ficha suja”, advogado que não tem inscrição na OAB e que nunca exerceu a profissão, Maguito tem mais um outro problema grave: responde a 10 processos judiciais por improbidade

Aparecida de Goiânia

O prefeito de Aparecida Maguito Vilela, do PMDB, andou falando demais sobre o seu futuro após deixar o cargo e acabou se enroscando em contradições difíceis de explicar.

1 – A partir de janeiro, Maguito anunciou que vai “advogar”, mas o site da Ordem dos Advogados do Brasil-Seção de Goiás informa que ele não é inscrito na Ordem e portanto não pode atuar em processos judiciais.

2 – Maguito também se referiu a uma suposta experiência de 8 anos como “advogado” – não não se tem notícia de que ele, em toda a sua vida, tenha “trabalhado” em qualquer área que não seja a política e a administração pública, através dos sucessivos cargos e mandatos que ocupou desde os vinte e pouco anos.

3 – O peemedebista tem ainda um problema sério no currículo: não pode registrar candidatura a nenhum cargo eletivo, já que é ficha suja, por ter sido condenado por improbidade administrativa em 2ª instância, com a sentença assinada por 4 magistrados – condição que a Lei da Ficha Limpa define para impedir o registro de qualquer candidatura. Isso explicaria o anúncio que fez, de que poderia se aposentar da política.

4 – Agora, mais um problema na área jurídica para Maguito: uma consulta ao banco de dados do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás informa que ele responde a 10 processos por improbidade administrativa, a partir de denúncias do Ministério Público, que questionou atos praticados à frente da Prefeitura de Aparecida.

Aguardam-se explicações, mas Maguito segue em silêncio.