Artigo de Caiado na Folha de S.Paulo, neste sábado, é rompimento definitivo com Temer e tem reflexos em Goiás ao inviabilizar estratégia de Iris para acesso a recursos federais

O senador Ronaldo Caiado, líder do DEM, voltou a fustigar o presidente Michel Temer em artigo na Folha de S. Paulo, neste sábado – com um texto que pode ser interpretado como um rompimento definitivo com o governo federal.

O afastamento entre Caiado e Temer tem consequências em Goiás, já que ele representava a esperança do novo prefeito de Goiânia, Iris Rezende, para acessar recursos de Brasília, usando a condição do líder ruralista como membro proeminente da base do presidente no Congresso Nacional.

“Como se sabe, propus a antecipação para 2017 das eleições no âmbito federal, abrangendo Congresso e Presidência. Nada de pessoal contra o presidente Michel Temer, mas é inegável que seu governo, com seis ministros já afastados no rastro de denúncias, e ele próprio já citado nas delações da Odebrecht, fragilizou-se e perdeu sintonia com as ruas”, escreve o senador goiano, com muita dureza, principalmente por se referir a uma questão delicada como as delações da Odebrecht.

Ele chega a sugerir que Temer não tem credibilidade para encaminhar as grandes questões nacionais: “O governo não tem autoridade moral para efetuar as reformas indispensáveis: previdenciária, trabalhista e tributária, entre outras. Pelo alcance e profundidade, e pelo sacrifício que impõem à população, exigem credibilidade por parte de quem as encaminha”, afirma.