Gustavo Mendanha nomeia a própria mulher, Mayara, para a Secretaria de Assistência Social e mostra que sua gestão começa com o cheiro rançoso de coisa velha

Aparecida de Goiânia

Confirmando o que já havia anunciado e mesmo sob fortes críticas, o novo prefeito de Aparecida, Gustavo Mendanha, nomeou a própria mulher, Mayara Mendanha, para o cargo de secretária de Assistência Social.

A decisão é polêmica. No mínimo, vai contra a onda moralizante que varre o país.

Existe uma Súmula Vinculante do Supremo Tribunal Federal que proíbe expressamente a nomeação de parentes do Chefe do Executivo para cargos em comissão ou de confiança na sua equipe de trabalho. Entretanto, foi criada uma saída: alega-se que as secretarias não se enquadram nem em uma nem outra hipótese, porque seriam cargos políticos.

Pelo sim, pelo não, há governantes que enfrentam a péssima repercussão popular e nomeiam parentes. Legalmente, pode ser que pode. Moralmente, nunca. Caso, agora, de Gustavo Mendanha, que começa a sua gestão com o cheiro rançoso de coisa velha.