O Popular cai no conto do vigário da “reforma administrativa” de Gustavo Mendanha, que faz Aparecida ter o mesmo número (22) de secretarias que São Paulo (maior orçamento do país). Que” enxugamento” é esse?

O jornal O Popular embarcou no golpe do vigário da “reforma administrativa” de araque anunciada pelo novo prefeito de Aparecida, Gustavo Mendanha, do PMDB.

Olha só, leitor: Gustavo Mendanha decretou, segundo O Popular, um “enxugamento” do número de secretarias, que caíram de 26 para 22. Mas que “enxugamento” é esse que deixa Aparecida com o mesmo número de pastas que o município de maior orçamento do país, São Paulo? Lá, o novo prefeito paulistano, ao tomar posse, reduziu as secretarias municipais para 22.

E para não citar exemplos mais radicais: a Prefeitura do Rio de Janeiro, outra ranqueada entre as maiores do país, passará a contar com apenas 12 secretarias, por decisão do novo prefeito, Marcelo Crivella.

E o governo de Goiás, também um gigante perto do qual Aparecida fica minúscula? Desde janeiro de 2015 que o governador fez um enxugamento administrativo, real, que resumiu as pastas a apenas 10.