Andrey Azeredo age como se vereadores fossem seus auxiliares, e não pares. Colegas estão, é claro, insatisfeitos e preparam motim, informa Jornal Opção

Havia o prognóstico de que, com o recesso de quase 15 dias na Câmara Municipal de Goiânia neste mês de janeiro, o presidente do poder Legislativo da Capital, Andrey Azeredo (PMDB), teria tempo para respirar e contornar as lambanças que marcaram as suas primeiras horas no comando da Casa. Mas o jornal Opção deste semana desenha um cenário ainda mais sombrio para o peemedebista do que existia há alguns dias atrás.

O Opção informa que há clara insatisfação dos vereadores com Andrey, o novato imposto pelo prefeito Iris Rezende (PMDB) como candidato de bolso de colete para presidir a Câmara. Entre outras reclamações, eles afirmam que Andrey deixou que a soberba lhe dominasse o modo de agir e passou a se comportar como prefeito de Goiânia. Estes mesmos vereadores ouvidos pelo Opção sentem-se tratados como auxiliares, e não como pares.

Em resposta aos atropelos de Andrey, existe um motim em gestação no Legislativo da Capital. E o alvo principal não será o presidente, mas o principal responsável por sua aclamação para Presidência da Casa: Iris Rezende.