Antônio Gomide foi “vendido” como o melhor prefeito da história de Anápolis. Na verdade, a estagnação em que ele enfiou a cidade prova que ele foi… o pior

Anápolis

O petista Antônio Gomide foi eleito e reeleito prefeito de Anápolis com votações espetaculares e, de fato, alcançou durante o seu período de governo índices também espetaculares de aprovação.

Mas tudo não passou de ilusão “vendida” aos anapolinos. E ilusão que está custando caro para Anápolis, que se transformou, depois da administração de Antônio Gomide, em uma cidade tomada pela estagnação econômica.

Os números não mentem. No período em que comandou Anápolis, Gomide, na verdade, foi um prefeito apenas provinciano, sem qualquer horizonte de visão mais amplo. As estatísticas do Instituto Mauro Borges mostram que a economia do município deixou de crescer à velocidade até então ostentada e passou a patinar. Sob a gestão do petista, nem uma única grande indústria se instalou em Anápolis, interrompendo um ciclo de expansão industrial de décadas.

Com Gomide na prefeitura, no período de 2010 a 2014, o PIB anapolino cresceu apenas 15%, enquanto o de Aparecida disparava e simplesmente dobrava no mesmo período. As novas empresas, antes abundantes, desapareceram. Ao Jornal Opção, nesta semana, o prefeito Roberto Naves disse que nenhuma indústria de porte se instala no município desde 2010 – sob Gomide e sob seu sucessor, o prefeito tampão e também petista João Gomes.

Antônio Gomide foi um logro e a vítima foi a população anapolina.