Anápolis caindo e Aparecida subindo: estatísticas mostram mudança, mas Roberto Naves (ou do Orion) e Gustavo Mendanha vacilam e não sabem o que está acontecendo

Anápolis, Aparecida de Goiânia

O ranking dos municípios goianos está prestes a passar por uma mudança de grande repercussão, com a ascensão de Aparecida ao 2º lugar, atrás apenas de Goiânia, e o rebaixamento de Anápolis para o 3º lugar (com Catalão na cola).

Isso é o que mostram as estatísticas do Instituto Mauro Borges, jurisdicionado pela Secretaria estadual do Planejamento e Gestão, que produz a base de dados mais confiáveis sobre a economia goiana.

Em 2015, data da última apuração, o PIB de Anápolis correspondia a 7,7% do PIB goiano e crescia a uma taxa de 15% entre 2010 e 2015. Já o PIB de Aparecida, entre 2010 e 2014, dobrou de tamanho (crescimento de 100%) e chegou a 7,1% do PIB estadual (e Catalão, que vem vindo aí, cravou a 4,5%). Tudo indica que, mantido esse crescimento, na apuração de 2015, Aparecida já venha na frente de Anápolis.

Pelo que se vê dos discursos, entrevistas e atuação dos prefeitos Roberto Naves ou Roberto do Orion (Anápolis) e Gustavo Mendanha (Aparecida), o que se conclui é que nenhum dos dois tem a menor consciência sobre o que se passa nos seus municípios. Ambos (que engordaram depois de eleitos) só falam sobre miudezas. Nenhum deles manifesta a menor consciência sobre o que está acontecendo com as economias que dirigem, para menos, caso de Anápolis, e para mais, caso de Aparecida.

Estão vacilando.