Este é Carlos Eduardo, o intermediário de Maguito e Daniel Vilela nas propinas pagas a eles pela Odebrecht, segundo o relato de dois delatores

Aparecida de Goiânia, Goiás

Segundo os delatores Fernando Luiz Ayres da Cunha Santos Reis e Alexandre José Lopes Barradas, ex-executivos da Odebrecht, a empresa repassou propinas de R$ 500 mil, em 2012, ao então prefeito de Aparecida, Maguito Vilela, em campanha pela reeleição, e de R$ 1 milhão a seu filho, Daniel Vilela, que ganhou um mandato de deputado federal em 2014.

O intermediário, para a operação, foi o então secretário de Finanças de Aparecida, Carlos Eduardo de Paula Rodrigues – homem de confiança que sempre acompanhou Maguito em todos os cargos executivos que ocupou, inclusive como governador de Goiás no período 1995/1998.

Os dois delatores contaram ao Ministério Público Federal que foram procurados por Carlos Eduardo, que ofereceu, em troca dos repasses para Maguito e Daniel, contrapartidas a serem dadas pela prefeitura de Aparecida na área de saneamento. Eles avaliaram que o “negócio” seria vantajoso para a Odebrecht e fizeram a doação de R$ 1 milhão 500 mil reais aos dois peemedebistas.