Joãodorização: que os interessados em se candidatar ao governo de Goiás em 2018 aproveitem a pausa (das delações) e reciclem seus discursos. Quem falar para os goianos como os políticos de 30 anos atrás não será ouvido

Eleições, Goiás

O fenômeno João Doria, surpreendentemente eleito prefeito de São Paulo no 1º turno, parece destinado a mudar todos os parâmetros da política brasileira, principalmente em termos de eleições majoritárias.

O que significa a “joãodorização”?

Que a política tradicional adquiriu um desgaste irreversível. Que quem vive dos conchavos e das verbas públicas não cabe mais. Que o político tem de ir para as ruas, para ver os problemas de perto, como a população vê. Que os valores mudaram e que temas como privatização, modernização, gestão são o que prevalecem. Que a linguagem ossificada do passado não é entendida mais. Quem se exprimir bem, em um mundo massificado pela televisão e pelas redes sociais, sobreviverá e vencerá. Que é preciso ser uma pessoal real e não uma figura pré-moldada. Que a nova sociedade é plural, individualista e prática, como deve ser uma sociedade moderna, e não coletivista, altruísta, como no passado dourado dos formuladores de esquerda.

É isso que os pré-candidatos ao governo de Goiás precisam ter em mente e é isso que os conectará com a sociedade que existe de fato. E nenhum deles está nesse rumo até agora.