Padre Luiz Augusto se envolve em nova polêmica ao ajudar serial killer a escrever livro. Tiago é acusado de matar mais de 30 pessoas

Goiânia, Imprensa

O jornal O Popular traz na edição desta quarta-feira matéria sobre o livro que serial killer Tiago Henrique escreveu na cadeia e que narra sua história criminosa e a conversão religiosa. Tiago é acusado de matar mais de 30 pessoas, a maioria mulher. Ele andava numa moto pelas ruas de Goiânia, escolhia as vítimas a esmo e atirava a queima roupa.

Para escrever o livro, Tiago teve ajuda do padre Luiz Augusto. Os dois se conheceram na prisão porque o religioso faz visita aos detentos.

Nas redes sociais e entre os familiares de vítimas, o livro está causando grande polêmica. Num post no Facebook, padre Luiz minimizou o fato e diz se tratar de uma conversão.

Essa é mais uma polêmica na vida de padre Luiz. Ele foi acusado de ser funcionário fantasma na Assembleia Legislativa. Recebia alto salário, mas não dava expediente na Casa.