Ala mineira por pouco não interviu no PSDB para destituir Tasso. Marconi foi quem debelou incêndio

Nacional

Nota da coluna Giro

A intercessão do governador Marconi Perillo (PSDB) foi fundamental para evitar uma declaração formal de guerra da ala mineira do PSDB ao presidente interino do partido, senador Tasso Jereissati (CE), na semana passada. A informação é da coluna Giro, do jornal O Popular, deste domingo (veja ao lado).

Os ânimos se exaltaram além da conta na reunião em que Tasso apresentou um plano de comunicação para os seus últimos 40 dias como interino. Queria contratar uma empresa de comunicação vinculada ao PT. Deputados da ala mineira levantaram a hipótese de que Tasso queria usar esta empresa para fazer sua campanha à presidência do PSDB, em dezembro, e abandonaram a reunião antes de ela acabar.

O pano de fundo desta briga é a eleição do próximo presidente do partido, que acontece no dia 9 de dezembro deste ano. O senador cearense quer a reeleição, enquanto a ala mineira – além do ex-presidente FHC, do prefeito de São Paulo, João Doria, e do governador Geraldo Alckmin – apoia a postulação do governador de Goiás, Marconi Perillo.