Principal adversário de Maguito em 2018 pode ser Lei da Ficha Limpa

O Goiás 24 Horas informou, na terça-feira, que o Ministério Público pediu à Justiça a condenação do ex-prefeito de Aparecida Maguito Vilela (PMDB) por improbidade administrativa. O MP afirma que Maguito cometeu ilegalidade ao contratar 202 servidores comissionados e cedê-los à Câmara ao longo do seu mandato sem ônus ao Legislativo. No “trem da alegria” tinha até parente de vereador e de secretário, conforme a ação.

Este processo pode encerrar a carreira política do ex-prefeito, que em círculos íntimos admite que acalenta o sonho de ser governador mais uma vez (ainda que, em público, ele diga que chegou o momento do filho Daniel). Se for condenado em segunda instância, Maguito será enquadrado na Lei da Ficha Limpa, que impede políticos condenados por colegiados de juízes de disputar a eleição. É o mesmo pesadelo pelo qual passa o ex-presidente Lula.

Há alguns meses, o blog noticiou que o ex-prefeito de Aparecida havia sido condenado em segunda instância, em sentença assinada por três desembargadores, por denúncia do Ministério Público Estadual que o implicava em um contrato fraudulento de aluguel, que lesou a Prefeitura de Aparecida.

O blog, no entanto, não conseguiu apurar em que pé está o processo. É possível que esteja em etapa de recurso.

Trocando em miúdos: a badalada candidatura de Maguito em 2018 pode não passar de miragem.