Vereadores se elegem com discurso de renovação, mas depois mostram que são só políticos alpinistas. Adiantou o quê?

Se 2017 foi um ano de grandes decepções para o goianiense por causa do desempenho ruim de Iris Rezende (PMDB) como prefeito, em 2018 a tendência é que esta decepção se pulverize: seis vereadores eleitos com discurso de renovação estão de olho em mandatos de deputado, o que mostra que o que eles queriam não era renovar a política, mas fazer carreira e encher o bolso.

A pergunta que o blog faz é: se era para ficar apenas dois anos como vereadores, porque disputaram a eleição em 2016? É correto jogar dois anos de mandato na lata de lixo por causa de ambições pessoais? Com que cara fica o cidadão, que apostou neles para reciclar a velha e carcomida política?

Os senhores, se forem mesmo candidatos vai entristecer profundamente Goiânia. Segundo o jornal O Popular, são Kleybe Morais (PSDC), Paulo Daher (DEM), Cabo Senna (PRP), Eduardo Prado (PV), Vinícius Cirqueira (Pros) e Alysson Lima (PRB).