Fio Direto, no DM: abandono da Comurg pode ser estratégia para justificar criação da taxa do lixo

O leitor está cansado de ler, saber e, infelizmente, sentir o mau cheiro oriundo da falta de coleta de lixo. O problema na Comurg se arrastada há anos. Historicamente, a companhia se transformou numa espécie de fazedora de caixa de campanha para a turma do PMDB e PT. Isso explica porque praticamente todos os ex-presidentes da Comurg foram ou são acionados pelo Ministério Público por improbidade administrativa.

Nesta gestão de Iris Rezende (PMDB), a crise continua. Basta lembrar que na semana do Natal muitos bairros ficaram sem coleta e as ruas e avenidas foram tomadas pelo lixo. A coluna Fio Direto, do Diário da Manhã, escreve que a “a rádio peão diz que essa bagunça na coleta de lixo tem objetivo claro: seria uma manobra do Paço para justificar a criação da taxa do lixo”.

Essa história corre nos bastidores não é de hoje. Dizem também que a intenção da prefeitura, ao deixar a Comurg ser sucateada, é privatizar a companhia.

 

Compartilhe