TV Anhanguera insiste em chamar tragédia do Mutirama de “acidente”, o que não foi

Ao dar a notícia de que ficou pronto o laudo sobre a situação dos brinquedos do Mutirama (que confirmou o agudo estado de sucateamento das máquinas), a apresentadora do jornal Anhanguera (1ª Edição), Lilian Lynch, e a repórter Terciane Fernandes referiram ao episódio ocorrido no dia 26 de julho de 2017 como “acidente” – falha que, aliás, os funcionários do Grupo Jaime Câmara (GJC) tem cometido há meses.

Não foi acidente, porque acidentes são obras do acaso. Chamar aquela tragédia de “acidente” é eximir o peso que as falhas humanas tiveram no que aconteceu. Aquilo foi resultado da negligência do prefeito Iris Rezende (PMDB) e dos seus auxiliares, e não um acidente.

Nota da redação: até as 15h38, o site do Jornal Anhanguera ainda não havia postado o vídeo com a reportagem. Se for postada, o Goiás 24 Horas atualizará a notícia com o link.

Compartilhe