OAB: Lúcio Flávio sobe tom e critica “aliança de ressentidos”

O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil em Goiás (OAB-GO), Lúcio Flávio de Paiva, subiu o tom nesta segunda-feira ao criticar os grupos que fazem oposição à gestão dele, que chamou de “aliança dos ressentidos”.

“Esses insatisfeitos de ontem e de hoje se juntaram em seu ressentimento para atirar pedras na gestão atual; mas ao invés de lança-las de volta, com elas estamos pavimentando o caminho de realizações que nos trouxe até aqui”, afirmou Lúcio Flávio na inauguração da sala da Casag no Tribunal Regional do Trabalho (TRT) em Goiás.

No começo deste ano, a oposição anunciou a candidatura de Pedro Paulo de Medeiros à presidência da Ordem. Pepê, a princípio, reúne desde Leon Deniz a Miguel Cançado, passando por Enil Henrique. Ele possivelmente enfrentará Lúcio Flávio, que deve tentar a reeleição.

O atual presidente disse também que a oposição manipula e distorce dados ao acusá-lo de gerenciar mal as contas da OAB. “A Ordem não deve sequer um centavo na praça”, afirmou.

Abaixo, a íntegra do discurso:

Confia e trabalha.

           Essa a frase que tenho repetido ao longo de nossa gestão à frente da OAB Goiás.

           Ao assumir a OAB em janeiro de 2016, recebemos uma Ordem carente de tudo: endividada, desorganizada, envelhecida, superada. Faltava tudo: as Subseções não recebiam seus duodécimos; a Seccional não conseguia pagar suas dívidas, cada vez maiores, e enfrentava a humilhação de cobranças, negativações e protestos; a advocacia lidava com uma estrutura decadente: salas de Ordem com computadores velhos e superados, móveis quebrados, pouco ou nenhum conforto para o exercício profissional.

           Naquela época, quando frequentava a mídia, a projeção da OAB Goiás era negativa: ora os gestores de então eram chamados a explicar o porquê das dívidas milionárias; ora se questionava a indevida e inconcebível vinculação da OAB Goiás à política-partidária, com prejuízo à sua necessária e histórica independência.

           Quanta mudança em apenas dois anos!

           A quase impagável dívida de 23 milhões de reais da Seccional, que drenava os recursos da advocacia para pagamento de juros, foi reduzida a 7 milhões; a Ordem não deve sequer um centavo na praça; as estruturas físicas foram modernizadas: o CEL da OAB foi totalmente reformado; a advocacia ganhou o MEU ESCRITÓRIO, da CASAG, o mais moderno escritório compartilhado do Brasil; trocamos todos – repito: TODOS! – os computadores das salas de OAB nos foruns de todo o Estado, em número que supera 400 equipamentos de última geração; terminamos obras que estavam abandonadas por falta de recursos: as sedes das Subseções de Anápolis, Iporá e Itaberaí foram entregues à advocacia; reformamos as sedes das Subseções de Formosa, Santa Helena, Pires do Rio, Luziânia, Formosa, Ipameri, Goiatuba, Quirinópolis e Caldas Novas; reformamos e modernizamos 20 salas de Ordem, em padrão exatamente a este que hoje entregamos, sendo 16 no interior e 4 na Capital.

           Os jornais não mais falam em dívida da OAB; não se cogita mais de vinculação ou submissão político-partidária. A OAB Goiás que está nas páginas dos jornais é a OAB da cidadania: a OAB que luta contra as ilegais apreensões de veículos por dívida de IPVA; a OAB que na crise do sistema prisional goiano foi protagonista na crítica, na concepção de soluções – como a liminar de limitação do semiaberto que o Estado e a União relutam em cumprir – e na cobrança, respeitosa mas incisiva, das autoridades competentes para a solução real do caos. A OAB que fala as verdades, ainda que as autoridades não gostem de ouvi-las: por exemplo, a verdade de que o Estado perdeu a soberania de seus presídios.

           Claro que não se muda e não se avança tanto sem desagradar a um sem número de pessoas. Muitos insatisfeitos ficaram pelo caminho: alguns que caminharam conosco na vitória eleitoral de 2015 e acharam que iriam transformar a OAB Goiás em trincheira política da oposição ao Governo do Estado se frustraram; outros, adeptos do velho modelo de gestão que levou a OAB Goiás à derrocada financeira, estrutural e institucional, demitidos dos cargos pelo voto direto da advocacia vociferam contra a gestão e espumam de rancor a cada êxito e a cada realização de nossa administração. E esses insatisfeitos de ontem e de hoje se juntaram em seu ressentimento para atirar pedras na gestão atual; mas ao invés de lança-las de volta, com elas estamos pavimentando o caminho de realizações que nos trouxe até aqui.

           Para cada nova crítica, nova mentira ou nova pedra atirada, digo-lhes: confia e trabalha, pois a verdadeira advocacia tudo está vendo e avaliando.

           Eis, meus amigos advogados e advogadas, as nova sala da advocacia no FORUM DO SETOR OESTE/TRT. Bonita, confortável, com alto padrão de móveis e acabamento, e totalmente equipada com o que há de mais moderno para o exercício profissional da advocacia. Essa sala, junto com as 20 que já entregamos, é um orgulho para a advocacia goiana!

           Não chegaríamos a mais essa entrega não fosse o trabalho e o apoio da Diretoria da OABGO, a quem parabenizo na pessoa do gigante JACÓ COELHO; dos servidores da OAB, a quem parabenizo na pessoa da eficiente JULIANA; e à maravilhosa parceria com a CASAG, que tem permitido revolucionar as estruturas da Ordem em todo o interior do Estado, pelo que parabenizo e agradeço ao visionário e competente Presidente RODOLFO OTÁVIO MOTA.

           Muito fizemos e ainda faremos muito mais! E exatamente por isso, porque muito estamos fazendo, é que os ataques e as mentiras serão ainda maiores, mormente em ano eleitoral. Continuemos serenos, confiando e trabalhando, e a quem perguntar sobre nossa gestão, respondam com nossas obras, a exemplo dessa sala e tantas outras obras já entregues, e deixe que a verdade fale por si, conforme ensina a perfeita lição de Santo Agostinho:

A verdade é como um leão; você não precisa defendê-la. Deixe-a solta e ela se defenderá a si mesma.

           Viva a advocacia goiana!

Lúcio Flávio Siqueira de Paiva

Presidente da OABGO

Compartilhe