Em entrevista, Temer dá nota 7 para seu governo

Ao ser questionado qual nota daria para seu governo, o presidente Michel Temer (MDB) respondeu com bastante positividade. “Hoje é 7 viu. Eu espero chegar a 10”, disse Temer em entrevista concedida a rádio Guaíba, nesta 6ª feira (9.fev.2018). Para 73% dos brasileiros, o presidente Temer faz 1 governo ruim (26%) ou péssimo (47%), revelou pesquisa do DataPoder360, divulgado em dezembro de 2017.

Apesar da impopularidade, Temer disse querer ser reconhecido como alguém que ajudou o país a sair da recessão e “fez reformas necessárias ao país”. “Eu aproveito a minha impopularidade para fazer tudo o que o Brasil precisa”, afirmou o presidente.

Durante a entrevista, Temer também afirmou que o governo acionou a Polícia Federal e o Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) para investigar os aumentos de preços da gasolina nos postos de combustível.

“Ainda hoje determinamos ao Cade e à PF que fiscalize os postos […] Quando tem aumento, a bomba registra, quando registra redução, a bomba não registra. Não vamos permitir. Vamos botar PF e Cade atrás dessa fiscalização para impedir essa espécie quase de agressão ao consumidor”, afirmou.

Os preços dos combustíveis tem forte peso eleitoral. Por isso, o Planalto articula para que os valores não pesem tanto no bolso e, principalmente, na consciência do eleitor.

Nesta 5ª feira (8.fev.2018), o ministro Moreira Franco, da Secretaria Geral da Presidência, disse que pediu formalmente ao presidente do Cade, Alexandre Barreto de Souza, que inicie uma investigação sobre o preço de combustíveis para apurar se há cartelização no setor. O presidente do órgão antitruste, no entanto, negou a consulta.

Compartilhe