Câmara que temos (2): evangélicos abrem mão de fiscalizar Iris e se põem na base

Para que os evangélicos querem eleger vereadores, se em tese a igreja deveria cuidar de assuntos do espírito a da alma?

Enquanto os nossos pastores não respondem à pergunta, uma informação: de acordo com reportagem do jornal O Popular desta segunda-feira, os dois vereadores que representam as igrejas evangélicas na Câmara estão comprometidos a votar com o prefeito Iris Rezende (MDB) quiser.

A troco de quê? Só eles podem dizer.

São os vereadores Rogério Cruz (PRB) e Léia Klébia (PSC), que abriram mão de uma atribuição elementar, que é fiscalizar o trabalho do prefeito. O blog só quer saber o que eles (e os evangélicos) vão ganhar em recompensa.