Gomide fala à coluna Giro e confirma que tem a cabeça vazia de ideias: seu objetivo nas eleições de 2018 é “derrotar o governo” e não defender um projeto de futuro para Goiás

O vereador e ex-prefeito de Anápolis Antônio Gomide confirma nesta quinta, na coluna Giro, em O Popular, o que o blog 24 Horas sempre viu nele: é um político que tem a cabeça vazia de ideias para Goiás. Gomide defende uma aliança do PT com o PMDB com o objetivo de “derrotar o governo”, só, sem falar em propostas para o Estado e os goianos.

Gomide, que Daniel Vilela quer como vice em 2018, tem uma façanha no currículo: foi candidato a governador (em 2014) sem apresentar uma única ideia para Goiás. Claro, perdeu feio…

Antônio Gomide, o petista que Daniel Vilela quer na sua chapa, como candidato a vice, foi massacrado nas urnas em 2014, quando se candidatou a governador com uma campanha em que não apresentou uma única ideia para Goiás e passou o tempo dizendo que a eleição de Dilma Rousseff era o que importava, não a dele. O eleitor entendeu o recado e rejeitou Gomide.

“Operação Resgate” de 100 dias, marketing barato lançado por Roberto Naves para conter o esvaziamento de Anápolis, cai no vazio. Perda de importância diante de Aparecida é irreversível

Ao assumir, o novo prefeito de Anápolis, Roberto Naves, lançou uma “Operação de Resgate”, destinada a recuperar, em 100 dias, o prestígio político e econômico de Anápolis, deteriorado pelos 8 anos de administração do PT. Hoje, ninguém fala mais no assunto: a operação caiu no vazio. A perda de importância de Anápolis, diante de Aparecida, é irreversível.

Prefeito de Anápolis copia João Doria, entra na modinha populista e se veste de agente de trânsito

A ação marqueteira foi amplamente divulgada nas redes sociais e perfis pessoais de Roberto Naves. Dono de um colégio na cidade, Naves venceu a eleição pregando ser o homem da renovação, o tão esperado “novo”. Mas com essas atitudes aí só se enquadra no perfil da velha política. Em Anápolis, o comentário é que como não tem o que mostrar, Roberto está apelando ao marketing barato.

Indicado por Caiado para comandar a secretaria de Trânsito de Anápolis estava com CNH vencida desde 2015 e tinha 125 pontos em multas

Prefeito Roberto Naves escolheu Carlos César de Toledo, conhecido como Cacai, para comandar a Companhia Municipal de Trânsito e Transporte (CMTT) de Anápolis. O jornal O Popular mostrou que o novo secretário estava com a carteira de habilitação vencida desde 2015 e com 125 pontos em multas. Um absurdo sem tamanho.

Isso é PT: herança sinistra de Gomide e João Gomes, em Anápolis, inclui dívida de R$ 24 milhões desde 2012 com empresa que coleta lixo. Cidade está mergulhada na sujeira

Os dois últimos ex-prefeitos de Anápolis, João Gomes e Antônio Gomide, ambos do PT, deixaram de pagar regularmente, desde 2012, a empresa que coleta o lixo da cidade. Resultado: uma dívida de R$ 24 milhões e Anápolis mergulhada na sujeira. O novo prefeito, Roberto Naves, não sabe o que fazer.

Anápolis com 19 secretarias e Aparecida com 21 são aberrações insustentáveis: São Paulo, por exemplo, tem 22 secretarias; Rio, 12; Curitiba, 12; e BH, 13

As “reformas administrativas” lançadas pelos novos prefeitos Roberto Naves, de Anápolis, e Gustavo Mendanha, mantêm um número excessivo de secretarias, incompatível com a realidade financeira dos municípios brasileiros. São 19 em Anápolis e 21 em Aparecida, número quase igual ao de São Paulo e outras grandes capitais.

Mau começo: novo prefeito de Anápolis se rende ao marketing e lança “Operação Resgaste” para recuperar Anápolis, em 100 dias como a 2ª cidade mais importante de Goiás… posição que já ocupa

O primeiro ato do novo prefeito de Anápolis, o inexperiente professor Roberto do Orion, foi puro marketing: inventou que vai lançar uma “Operação Resgate para, em apenas 100 dias, recuperar a importância de Anápolis como a 2ª cidade de Goiás. Não tem sentido, leitor: a cidade já ocupa esse 2º lugar, com Aparecida nos calcanhares.

E diz que vai fazer “gestão moderna”: prefeito eleito de Anápolis, Roberto do Orion também vai nomear a própria mulher para uma secretaria municipal (Assistência Social)

A “gestão moderna” anunciada pelo prefeito de Anápolis, Roberto do Orion, começa com a nomeação da sua própria mulher, Vivian Cristina Albernaz, para uma vaga na sua esquipe de auxiliares. Ela ocupará a Secretaria de Assistência Social, segundo informa o Diário da Manhã.

Crise no PT de Anápolis: a uma semana de entregar a Prefeitura (quebrada), João Gomes vai se filiar ao PSDB e ocupar cargo na equipe de Marconi

O prefeito em fim de mandato de Anápolis, João Gomes, vai mesmo deixar o PT e se filiar ao PSDB. A decisão é dada como certa pela imprensa anapolina e já foi até comentada pelo ex-prefeito e vereador eleito Antônio Gomide, inventor do poste João Gomes (que vai entregar a Prefeitura quebrada).

Sem nomes de peso, provável equipe de secretários do prefeito eleito Roberto do Órion está aquém do tamanho e importância de Anápolis

É de causar espanto a absoluta ausência de nomes de peso político e experiência administrativa na lista de escolhidos para o provável próximo secretariado da prefeitura de Anápolis, que vazou na internet e que tem sido homeopaticamente confirmada pelo prefeito eleito da cidade, Roberto do Órion (PTB). Confira os nomes.

Derrota em Anápolis tem uma lição para Antônio Gomide: fazer a autocrítica e tentar renascer como um político de mais conteúdo e menos marketing

Essa foto, leitor, mostra Antônio Gomide palestrando em um curso de marketing político, mostrando como ser um prefeito bem sucedido em matéria de comunicação. Só que… não foi o que as urnas de Anápolis mostraram. O candidato de Gomide, João Gomes, que ele avalizava diariamente nos programas eleitorais de TV, acabou perdendo. E Gomide ainda não mostrou que aprendeu a lição das urnas.

Roberto do Orion, prefeito eleito de Anápolis, precisa deixar claro a que veio: suas entrevistas não passam de uma profusão de chavões e palavras de ordem, sem nenhuma ideia

Roberto do Orion, o desconhecido que venceu a eleição para prefeito de Anápolis, tornou-se figurinha carimbada na mídia. Mas o que impressiona é o gosto do rapaz por chavões e lugares-comuns. Roberto do Orion foge como o diabo da cruz da apresentação de ideias e prefere… clichês.

No DM, Ulisses Aesse diz que João Gomes foi considerado “ótimo gestor” e só perdeu a reeleição em Anápolis por causa do antipetismo. Não é bem assim…

Ulisses Aesse, na sua coluna no Diário da Manhã, afirma que João Gomes foi um grande prefeito de Anápolis que só perdeu a reeleição em razão da onda de antipetismo que varre o país. Não é verdade, leitor. O antipetismo existe, sim, mas João Gomes nunca foi um “grande prefeito”, não passando de um gestor medíocre vivendo na sombra de Gomide.