Aparecida com Gustavo Mendanha é muita conversa fiada e rede social, mas pouca ação concreta para a população

Aparecida de Goiânia

A agenda do prefeito de Aparecida de Goiânia, Gustavo Mendanha (PMDB) tem sido movimentada. Muitas entrevistas, reuniões administrativas, viagens a Brasília, fotos nas redes sociais. Mas, a população quer benefício. Para quem pegou a máquina azeitada por Maguito Vilela e sem problemas, como o próprio Gustavo fala, está faltando ações concretas e resultados.

Maguito ficou oito anos na prefeitura de Aparecida, Gustavo entrou há 3 meses, mas a famosa erosão só aumenta

Aparecida de Goiânia, Imprensa

A famosa erosão no Jardim Luz, em Aparecida de Goiânia, só aumenta de tamanho. Está engolindo a avenida que dá acesso ao bairro e a prefeitura da cidade não toma nenhuma providência. TV Anhanguera mostrou o descaso mais uma vez.

Secretário de Comunicação de Aparecida publica anúncio da Prefeitura em site do filho. Pega mal e mostra que gestão de Gustavo Mendanha não cheira bem

Aparecida de Goiânia, Imprensa

O secretário de Comunicação de Aparecida, Ronaldo Coelho, autorizou a publicação de anúncio da prefeitura no site mantido pelo seu próprio filho, Guilherme Coelho, sob o nome de Folha Z. Pegou mal e mostra que a gestão de Gustavo Mendanha também exala cheiro ruim.

Maguito ficou 8 anos, não resolveu e Gustavo Mendanha vai no mesmo caminho: erosão gigante e ruas sem asfalto atormentam moradores do Setor Itapuã, em Aparecida

Aparecida de Goiânia

O jovem Gustavo Mendanha (PMDB) assumiu a prefeitura de Aparecida de Goiânia prometendo mundos e fundos e está na hora de mostrar serviço. Pode começar, por exemplo, dando uma assistência aos moradores do Setor Itapuã, que convivem há anos com erosões e ruas sem asfalto.

Além de condenado em 2ª instância, Maguito também tem contas rejeitadas no TCM, revela o Jornal Opção. Pela Lei da Ficha Limpa, ele não pode ser candidato a nada

Aparecida de Goiânia

O Jornal Opção revela em sua última edição que o ex-prefeito de Aparecida Maguito Vilela tem contas rejeitadas no Tribunal de Contas dos Municípios. Segundo a Lei da Ficha Limpa, essa situação não permite o registro de candidaturas a cargos eletivos. E Maguito ainda tem condenação em 2ª instância, por colegiado de juízes, o que também é previsto pela Lei da Ficha Limpa como impeditivo de candidatura.

Abertura dos trabalhos da Assembleia: discurso da bancada governista deixa oposição calada e sem reação

Aparecida de Goiânia

Na abertura dos trabalho da Assembleia Legislativa, na tarde desta quarta-feira, o discurso do deputado Júlio da Retífica (PSDB), representando a bancada governista, deixou a oposição sem reação no plenário. De cara, o tucano disse que os deputados da base não se sentem desconfortáveis, pelo contrário. Júlio afirmou que o Governo Marconi é realizador e colocou Goiás no topo da geração de empregos, mesmo com a forte crise nacional.

Pé frio: Aparecidense de Maguito e Vilela perde mais uma e está em último no Goianão

Aparecida de Goiânia

A Aparecidense perdeu para o Vila Nova nesta quinta-feira e amargou mais uma derrota no Goianão 2017. Daniel vem ganhando fama de pé frio. Apoiou Jovair Arantes na eleição da Câmara e perdeu. Apoiou João Gomes para prefeito de Anápolis e perdeu. Melhor a turma da Aparecidense abrir o olho e ficar ligada no risco de rebaixamento.

“Operação Resgate” de 100 dias, marketing barato lançado por Roberto Naves para conter o esvaziamento de Anápolis, cai no vazio. Perda de importância diante de Aparecida é irreversível

Anápolis, Aparecida de Goiânia

Ao assumir, o novo prefeito de Anápolis, Roberto Naves, lançou uma “Operação de Resgate”, destinada a recuperar, em 100 dias, o prestígio político e econômico de Anápolis, deteriorado pelos 8 anos de administração do PT. Hoje, ninguém fala mais no assunto: a operação caiu no vazio. A perda de importância de Anápolis, diante de Aparecida, é irreversível.

Em Aparecida, Gustavo Mendanha faz balanço de um mês de gestão. Resumo do que fez: NADA

Aparecida de Goiânia

O prefeito de Aparecida de Goiânia, Gustavo Mendanha (PMDB) divulgou um material para a imprensa falando de seu primeiro mês de gestão na cidade. Grande marca da administração de Gustavo neste primeiro mês foi o enorme déficit de vagas nos Cmeis. Em menos de uma semana, todas as vagas disponíveis foram preenchidas no municípios e milhares de crianças estão sem creche.

Como o PMDB trata a saúde municipal: em Goiânia, posto de saúde não tem energia. Em Aparecida, UPA foi inaugurada, mas não funciona

Aparecida de Goiânia, Goiânia, Imprensa

Reportagem da TV Anhanguera mostrou: posto de saúde do setor Fama está sem energia desde dezembro e a prefeitura de Iris Rezende não deu nem prazo para quando vai resolver o problema. Em Aparecida de Goiânia, o descaso é do mesmo nível. A UPA do Parque Flamboyant está pronta há um tempão e foi até inaugurada. Mas, não entra em funcionamento.

Aparecida de Maguito e Gustavo Mendanha: TV Anhanguera mostra dificuldades dos Cmeis em retomar aulas e pais sofrem com falta de vagas nas unidades

Aparecida de Goiânia, Imprensa

Maguito Vilela deixou herança pesada para o novo prefeito Gustavo Mendanha: a crise dos Cmeis. TV Anhanguera mostrou que alguns Cmeis não retomar as aulas na semana passada e assim os pais não têm onde deixar as crianças. Problema fica maior quando se fala do déficit de vagas. Maguito ficou oito anos no poder e o problema continua crônico em Aparecida de Goiânia.

Voto de Daniel Vilela a favor da emenda do abuso de autoridade foi em “solidariedade” ao pai, Maguito, que processou promotor (que o havia denunciado por improbidade) e perdeu

Aparecida de Goiânia

O ex-prefeito de Aparecida, Maguito Vilela, processou um promotor que entrou com ações de improbidade contra ele, pedindo uma indenização por “estar passando por transtornos” em função das ações. A ação foi arquivada por falta de fundamento, mas explica o voto do deputado federal Daniel Vilela a favor da emenda do abuso de autoridade, que pune juízes e promotores.

“Reforma administrativa” de Gustavo Mendanha manteve 20 secretarias (o dobro do governo do Estado) e criou mais 24 cargos de secretário executivo de R$ 8 mil de salário e 9 assessores especiais de R$ 7 mil

Aparecida de Goiânia

A “reforma administrativa” do novo prefeito de Aparecida, Gustavo Mendanha, além de manter uma estrutura inchada com 20 secretarias, ainda criou uma penca de cargos – 33, sendo 24 secretários executivos e 9 assessores especiais – com salários entre R$ 7 e 8 mil.

“Reforma administrativa” de Gustavo Mendanha, em Aparecida, está cheirando mal: uma hora, a economia é de R$ 20 milhões, outra hora de R$ 2 milhões e no DM desta sexta é de R$ 8 milhões

Aparecida de Goiânia

A “reforma administrativa” anunciada pelo prefeito de Aparecida Gustavo Mendanha não exala cheiro bom: o próprio prefeito tem sido contraditório sobre a suposta economia que a redução do número de secretarias de 27 para 20 (que continua grande). A O Popular, Gustavo Mendanha disse que iria poupar R$ 20 milhões nos próximos quatro anos. Depois, baixou para R$ 2 milhões. Nesta sexta, no DM, ele dá novo valor: R$ 8 milhões.

No apagar das luzes do seu mandato, Maguito foi denunciado pelo MP por comprar 5 mil computadores na Primetek, a preços superfaturados, com prejuízo de R$ 2 milhões para a Prefeitura de Aparecida

Aparecida de Goiânia

Uma fraude em 2 pregões, um presencial e outro eletrônico, para direcionar a compra de 5 mil notebooks para a Primetek, empresa que tem lojas em Goiânia, levou o ex-prefeito Maguito Vilela a ser denunciado pelo Ministério Público no apagar das luzes do seu mandato. O MP comprovou superfaturamento que deu prejuízo de exatos R$ 2.137.800,00 à Prefeitura de Aparecida.

Novo secretário de Educação de Aparecida, nomeado por Gustavo Mendanha, foi denunciado pelo MP por manter funcionária fantasma e ainda pagar horas extras a ela

Aparecida de Goiânia

O novo prefeito de Aparecida, Gustavo Mendanha, do PMDB, nomeou para Secretaria Municipal de Educação um dentista, sem qualificação na área de ensino, que ainda por cima foi denunciado pelo Ministério Público por improbidade administrativa. Na gestão do ex-prefeito Maguito Vilela, Rodrigo foi secretário de Desenvolvimento Urbano e manteve uma funcionária fantasma em seu gabinete.

Mais uma do Gustavo Mendanha: novo secretário de Educação de Aparecida é dentista, comandava a coleta de lixo e nunca foi sequer professor ou teve qualquer atividade no setor educacional

Aparecida de Goiânia

O novo prefeito de Aparecida, Gustavo Mendanha, do PMDB, nomeou um odontólogo – sem qualquer qualificação na área – para a Secretaria Municipal de Educação. Na gestão do ex-prefeito Maguito Vilela, Rodrigo Gonzaga Caldas, o novo secretário, foi o responsável pela coleta de lixo de Aparecida.

Eleitor aparecidense votou para escolher um prefeito e não alguém para capinar lotes baldios ou operar trator para roçar o mato (e ainda por cima desrespeitando as normas de segurança)

Aparecida de Goiânia

Olha a foto, leitor: é o novo prefeito de Aparecida Gustavo Mendanha posando de trabalhador braçal, cortando o mato com uma foice. Isso é retrocesso. O eleitor vota para escolher um gestor e não alguém que busca fazer média com os cidadãos, produzindo factoides. Gustavo Mendanha começou muito mal.

Anápolis com 19 secretarias e Aparecida com 21 são aberrações insustentáveis: São Paulo, por exemplo, tem 22 secretarias; Rio, 12; Curitiba, 12; e BH, 13

Anápolis, Aparecida de Goiânia

As “reformas administrativas” lançadas pelos novos prefeitos Roberto Naves, de Anápolis, e Gustavo Mendanha, mantêm um número excessivo de secretarias, incompatível com a realidade financeira dos municípios brasileiros. São 19 em Anápolis e 21 em Aparecida, número quase igual ao de São Paulo e outras grandes capitais.

Além do show de demagogia e populismo, mau exemplo: prefeito de Aparecida opera trator com pessoas nos para-lamas, em completo desacordo com as normas de segurança para máquinas pesadas

Aparecida de Goiânia

Além do show de populismo e demagogia, mau exemplo: para posar para as câmeras, o prefeito de Aparecida, Gustavo Mendanha, operou um trator em desacordo com as normas de segurança, durante a execução de serviços de limpeza e roçagem em um bairro. Esse começou mal e continua mal.