José Nelto devolve carro que estava à disposição do seu gabinete e abre a porta para mais um escândalo na Assembleia: a farra do aluguel de veículos

Vem aí mais um escândalo na Assembleia Legislativa: a farra dos carros alugados pelos deputados e pagos com recursos da verba indenizatória, ou seja, com dinheiro público. A pista foi dada pelo líder do PMDB, José Nelto, ao devolver para a presidência um carro colocado à disposição do seu gabinete. Cada deputado recebeu um, além dos veículos que pode alugar.

Fiasco: “audiência pública” promovida por José Nelto para debater a segurança, na Assembleia, teve superlotação de… cadeiras vazias

Fracassou a “audiência pública” convocada pelo deputado José Nelto, líder do PMDB na Assembleia, para tentar criar desgastes para o Governo do Estado. Além do auditório vazio, o secretário de Segurança, Joaquim Mesquita, apareceu de surpresa e ocupou todos os espaços com um discurso criticando a frouxidão da legislação penal no brasil.

Ulisses Aesse, no Diário da Manhã, prevê que falta de juízo dos deputados continuará garantindo manchetes negativas para a Assembleia

Em nota na sua coluna Café da Manhã, no Diário da Manhã, o jornalista Ulisses Aesse faz uma previsão: novas manchetes negativas sobre a Assembleia Legislativa aparecerão em breve, porque os deputados continuam mostrando falta de juízo e não reagem aos escândalos que mancham a imagem do Poder.

Em O Popular, João Lemes lembra que Helio de Sousa já completou 9 meses de gestão na Assembleia: ”É tempo demais sem respostas satisfatórias”

Em artigo publicado nesta segunda-feira na página de opinião de O Popular, o editor João Lemes lembra que o presidente da Assembleia, Helio de Souza, está há 9 meses no cargo sem oferecer respostas satisfatórias para as dúvidas que mancham a imagem do Poder. “É tempo demais”, ressalta João Lemes.

O Popular denuncia novo escândalo na Assembleia: só a presidência tem 1.261 comissionados. Se todos aparecerem para trabalhar, não há espaço

Neste domingo, O Popular denuncia novo escândalo na Assembleia Legislativa: a presidência do Poder tem, à sua disposição, 1.261 funcionários comissionados. Isso mesmo, leitor amigo. Imagine só: se todo esse pessoal for chamado para trabalhar, não haveria espaço suficiente no prédio da Assembleia.

Coluna Giro pergunta e Helio de Sousa escorrega: “Padre Luiz, servidores fantasmas e bufê de luxo. Não é muito desgaste em pouco tempo para a Assembleia?”

Com apenas 4 meses, a atual Legislatura, sob o comando do deputado Helio de Souza, mostra-se mais pródiga em escândalos que as anteriores. Neste sábado, a coluna Giro, de O Popular, levanta a questão da produtividade da Assembleia em matéria de irregularidades, mas Hélio de Souza escorrega e não responde.

Farra gastronômica com dinheiro público: suspensão de contrato para bufê de luxo é confissão de culpa da Assembleia

Está suspenso o contrato para um bufê de luxo que serviria refeições sofisticadas aos deputados da Assembleia Legislativa, no valor de R$ 400 mil reais. A denúncia de O Popular, nesta sexta, envergonhou o Legislativo, que acabou recuando. Mas a farra gastronômica, por conta do dinheiro público, continua com a verba indenizatória dos parlamentares.

Farra milionária da Assembleia com restaurantes e bufê de luxo para deputados é um tapa na cara dos goianos

A Assembleia Legislativa inovou. Não, não se trata de nenhuma ideia ou projeto para beneficiar o povo goiano. Na verdade, os deputados estaduais estão se fartando em uma pantaguélica farra gastronômica, por conta dos cofres públicos. Os gastos milionários da Assembleia com restaurantes e bufê de luxo são um tapa na cara dos goianos.

Robalo com crosta de amêndoas e filé ao molho funghi. Esses, sim, é que são pratos dignos de deputado. Ou você, leitor, queria que eles comessem arroz com feijão?

Quem acha que deputado estadual se satisfaz com arroz com feijão está muito enganado. O Popular revela nesta sexta que a Assembleia está contratando por R$ 400 mil um bufê “digno de restaurante de luxo” para a alimentação de suas excelências. A Assembleia perdeu o juízo – mas quem paga a conta são os cofres públicos.

Jornal O Hoje diz que Assembleia é “caricatura de Parlamento” e que Hélio de Sousa “perdeu a capacidade de discernir” e fez o Poder “virar as costas para o povo”

Em editorial, nesta quarta-feira, o diário O Hoje faz o necrológio da gestão do presidente Hélio de Sousa, que, acusa o texto,nada faz para reverter a imagem negativa do Poder. O Hoje afirma que a sucessão de fatos negativos cristaliza a Assembleia como uma “caricatura de Parlamento”.

Petição quer vetar título de cidadã goiana à Sheherazade, proposto pelo “maluco beleza” da Assembleia, Major Araújo

Circula na internet uma petição que, depois de subscrita por pelo menos 250 pessoas, será entregue ao presidente da Assembleia Legislativa, Hélio de Sousa (DEM), pedindo para que o poder Legislativo desista da ideia esdrúxula de homenagear a jornalista Rachel Sheherazade, do SBT, com título de cidadã goiana.

Líder do PMDB, que comanda campanha contra a privatização da Celg, votou a favor da venda de Cachoeira Dourada na época do Governo Maguito

A “campanha” que o líder do PMDB na Assembleia, José Nelto, tenta lançar contra a privatização da Celg esbarra em dois obstáculos: um,a transferência da companhia para o setor privado tem a aprovação maciça do empresariado goiano: dois, o próprio Nelto,em 1997, votou a favor da privatização de Cachoeira Dourada.

“Farra das medalhas na Câmara e na Assembleia não acaba mais. O que acaba é gente para recebê-las”, diz Suely Arantes no Diário da Manhã

A banalização das homenagens na Câmara Municipal de Goiânia e na Assembleia Legislativa foi outra vez alvo de críticas na imprensa do Estado. Desta vez, quem pautou com o assunto, com refinada ironia, foi a jornalista Suely Arantes, titular da coluna Fio Direto. Suely diz trata o excesso das duas Casas como “vexame”.

No Diário da Manhã, Suely Arantes critica Assembleia por realizar só duas sessões por semana: “Quem pode, pode”

Não bastasse o número crescente de projetos inúteis, que tratam da concessão de títulos de cidadania, de utilidade pública e criação de datas comemorativas, os deputados estaduais de Goiás agora realizam apenas duas sessões plenárias por semana – em vez de três, que já era um número reduzidíssimo.

Santa Cruz ironiza Marquinho Palmerston (aquele do projeto sobre entrega de pizzas e sanduíches): “Parlamento não é lugar de idiota tão notório”

“Parlamento não é lugar de idiota tão notório”. É o que sentencia o jornalista Carlos Alberto Santa Cruz,em seu artigo deste domingo no Diário da Manhã, ao abordar o projeto de lei apresentado pelo deputado Marquinho Palmerston, fixando prazo de 50 minutos para a entrega de pizzas e sanduíches encomendados por telefone.

O Popular: 40% dos projetos apresentados na Assembleia não têm revelância alguma

Quando chegaram à Assembleia, os deputados estaduais novatos prometiam estabelecer práticas políticas que os diferenciassem dos veteranos. Era tudo conversa fiada: o grau de irrelevância dos projetos apresentados na Casa manteve-se praticamente o mesmo e o Poder Legislativo continua a resvalar no ridículo.