No Diário da Manhã, Célia Valadão tenta explica o inexplicável: porque votou contra o ponto para vereador

Em entrevista no Diário da Manhã, Célia Valadão tenta explica o inexplicável, ou seja, revela os supostos motivos de seu voto contra o projeto de Paulo Magalhães que instituía o ponto digital na Câmara de Goiânia.

Célia não só votou contra como comandou o rolo compressor da base aliada de Paulo Garcia para derrubar a proposta.

Veja:

 

“Sou uma vereadora em tempo integral”

Líder do prefeito na Câmara esclarece ao DM o real motivo de votar contra o Ponto Biométrico
DIÁRIO DA MANHÃ
MILENA PORTO
A vereadora e líder do prefeito na Câmara, Célia Valadão (PMDB), esclareceu ao DM o motivo de ter rejeitado a proposta do Ponto Eletrônico na Casa. Segundo Célia, existem outras formas de se comprovar a presença, permanência e a participação do vereador no Plenário.

O projeto, de autoria do vereador Paulo Magalhães (PV), teve rejeição de 17 votos contra 14 na Câmara nesta última semana, o que gerou mais uma polêmica envolvendo a Câmara de Goiânia e os vereadores. De acordo com a proposta, os parlamentares deveriam registrar presença, em três horários, sob pena de desconto do subsídio dos faltosos caso não houvesse justificativa para a ausência.

Célia Valadão destacou que sua posição não é contrária ao mérito e sim da maneira como foi colocado. “Eu sou vereadora em tempo integral. Sou favorável de que nós teríamos que cumprir horário, com registro de presença, de segunda-feira a sexta-feira, como é em toda a Lei Trabalhista. Por que não?”, questiona.

Para ela, se já existem outras maneiras de comprovar essa presença, como o painel eletrônico e assinatura em folha, o ponto não teria necessidade. “Tive comportamento de acordo com a minha coerência. Sou mãe e avó. Muitas vezes temos a obrigação de dizer não para um filho, quando ele está com capricho. Por que deveria votar em uma coisa que já é de praxe? Estaria talvez satisfazendo o capricho de alguém, promovendo alguém que colocou uma situação polêmica para se autopromover”, esclarece.

Quanto ao comprometimento e presença dos vereadores na Câmara, Célia avalia de forma positiva e que esta polêmica trouxe uma imagem de que a casa estaria sem comando. “Quem acompanha o trabalhos na Câmara, percebe que não há falta de quorum. A presença dos vereadores, a permanência e o aproveito tem sido bons e de um maneira positiva.”

A vereadora explica ainda que, conforme decisão da presidência, já é feita uma verificação de quatro registros no plenário, com atualização do painel eletrônico.

Quanto a relação entre os parlamentares, depois de mais um tema polêmico como este na Câmara, Célia acredita que o clima está dentro da normalidade, e que a grande maioria tem bom senso e discurso positivo. “O Plenário é feito de ideias, propostas, debates, divergências e convergências. Infelizmente, alguns excedem, falam o que não deveria, mas é o perfil de poucos”, acrescenta.

Em relação aos projetos, a vereadora diz que tem vários em andamento e que na função de líder faz um acompanhamento rigoroso em todos os projetos apresentados pelo Executivo, com o trabalho de agilizar e fazer com que os procedimentos aconteçam em tempo hábil.

Sobre projetos futuros e eleições em 2014, Célia acredita que ainda é cedo e que não tem nada definido. “O foco ainda é 2013, temos muito trabalho. A partir do segundo semestre começamos a discutir sobre isso. Uma coisa é certa, o PMDB é o maior partido do Brasil, e temos a consciência e responsabilidade da importância desse partido, que estará posicionado de maneira bem significativa nas eleições”, concluiu a vereadora.

 

LEIA MAIS:

Mais chumbo: Djalma diz que Célia e Clécio trabalham contra a CEI do Transporte Coletivo

Paulo Garcia, em fase de baixo astral, se desgasta até com derrubada do ponto biométrico na Câmara

Sob o comando de Clécio e Célia, Câmara perde chance de avançar na moralização

Base de Paulo Garcia derruba projeto de ponto digital para vereadores na Câmara

Um dia depois de Clécio negar gazeta de vereadores, sessão não é aberta por falta de quórum. Que vergonha, hein, presidente?

Fabiana desmente Clécio com números e prova falta de assiduidade dos vereadores

Contra o ponto digital para vereadores, Clécio argumenta: “Eles têm ações extrapolares…”