Era jogada mesmo: O Popular revela que empresas manobram para manter R$ 3 em troca do Ganha Tempo

Está em O Popular desta quarta-feira: as empresas de ônibus de Goiânia estão manobrando para manter o preço da passagem em R$ 3, alegando que o Ganha Tempo – programa que elas criaram e que foi assumido pelo prefeito Paulo Garcia – não tem condições de ser operado com um preço menor de tarifa.

Matéria do repórter Vandré Abreu abre o jogo das empresas e diz: “A intenção das empresas é que o Ganha Tempo, divulgado como um projeto da Prefeitura de Goiânia, só ocorresse com a manutenção da tarifa em R$ 3. A argumentação é que o usuário pagaria o valor atual, mesmo sem os impostos, mas teria um ganho de qualidade”.

Mais claro, impossível. Podem anotar: quem vai propor a continuidade da tarifa em troca da manutenção do Ganha Tempo será a própria Companhia Metropolitana de Transporte Coletivo, através do seu presidente Ubirajara Abbud, que já anunciou estar concluindo estudos sobre a compensação das empresas – em linguagem vulgar, sobre a permanência da tarifa em R$ 3 reais, ignorando-se a desoneração fiscal e as falhas nas planilhas encontradas pelo Procon, oferecendo-se, em contrapartida, a manutenção do Ganha Tempo.

O programa Ganha Tempo foi bolado pelas próprias empresas a partir da constatação, assumida pelo vice-presidente do Setransp, Décio Caetano, em entrevista a O Popular, de que apenas 0,1% dos usuários recorrem a três viagens no período de duas horas e meia.

 

LEIA MAIS:

JA: Repórter Prateado testa o Ganha Tempo de Paulo Garcia e conclui: “Não adianta nada”

Lá vem o Jorge Braga de novo, agora ironizando o “Ganha Tempo” de Paulo Garcia

Procon dá show e faz papel que cabia ao MP ao conseguir liminar suspendendo o aumento da tarifa

Na TV Anhanguera, povo chama Ganha Tempo de ilusão, enganação e maquiagem

TV Anhanguera dá informação equivocada sobre o Ganha Tempo, invenção furada das empresas