IBGE: com Caiado, Cristiane Shmidt e Wilder indústria goiana toma ré

O discurso de terra arrasada do governador Ronaldo Caiado e a incompetência dos secretários Cristiane Schmidt (Economia) e Wilder Morais (Indústria e Comércio) estão provocando recuo expressivo da atividade industrial em Goiás

Os números do governo Caiado são péssimos: a indústria goiana registrou queda de 5,9% em abril de 2019 em relação ao mesmo mês do ano passado. Na comparação com o mês março último, na série com ajustes sazonais, a queda foi de 1,4%.

De acordo com a Pesquisa Industrial Mensal – Produção Física (PIM-PF), divulgada nesta terça-feira (11/06) pelo IBGE, Goiás está entre os cinco estados que apresentaram redução no País. Com a segunda queda no ano, a indústria goiana teve a variação acumulada no ano de 2019 negativa em 0,2%.

Dentre as atividades pesquisadas no Estado, as que mais contribuíram para a queda da indústria, comparado a abril de 2018, foram: fabricação de produtos de metal, exceto máquinas e equipamentos (-26,8%), fabricação de produtos farmoquímicos e farmacêuticos (-23,0%) e fabricação de veículos automotores, reboques e carrocerias (-19,2%). Destaque para essa a última atividade que registrou o terceiro recuo consecutivo no ano, acumulando quedas de 12,8% em 2019 e de 35,5% nos últimos 12 meses.

Por outro lado, a única atividade que registrou crescimento em abril de 2019 em Goiás, quando comparado ao mesmo período do ano anterior foi a fabricação de produtos alimentícios (0,3%).