“Cientistas políticos” do POP dão show de abobrinhas na tentativa de analisar os protestos de rua

A equipe de “cientistas políticos” que o jornal O Popular mantém de plantão para comentar os fatos da política dá um show na edição desta terça-feira… um show de abobrinhas e frases pré-fabricadas.

Existe hoje uma certa desorientação dos grandes jornais na análise das causas exatas dos protestos de rua, além da simples insatisfação com o transporte coletivo.

Para “analisar” os protestos de rua, em um esforço até válido na busca das suas verdadeiras motivações, O Popular chamou os já conhecidos Itami Campos e Luiz Signates, o primeiro da Uni-Evangélica e o segundo da UFG.

Mas, aí desandou.

Olha se é preciso ser “cientista político” para chegar à seguintes conclusões:

 

1 – “Ainda não dá para saber onde esses protestos vão chegar”. (Itami)

2 – “As manifestações de rua, surgidas de movimentos estudantis, são naturais e comuns de países democráticos”.(Signates)

3 – “Vem acontecendo uma crescente onda de insatisfação. Insatisfação com a corrupção, com o quadro político, com os políticos”. (Itami)

4 – “Ainda não dá para analisar qual será o desfecho”. (Signates)

5 – “O transporte público, por exemplo, está deficiente em todo o País” . (Signates)

6 – “Antes o PT encabeçava a maioria dos movimentos sociais e hoje está no governo”. (Signates)

 

O blog 24Horas acha que não é preciso nem ser alfabetizado para chegar a essas “brilhantes” conclusões, quanto mais “cientista político”.