Exclusivo: diretor do presídio de Goiatuba e agente penitenciária são investigados

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público de Goiás e promotores com atuação em Goiás receberam denúncia criminal no início deste mês de junho contra o diretor da Unidade Prisional de Goiatuba, Juliano Galdino Ferreira e a esposa agente penitenciária da unidade, Flaviane Rosa Ferreira , por vários prováveis crimes.
De acordo com as denúncias , contra os agentes públicos apontam a prática de cinco crimes: organização criminosa,entre presos condenados por crime do fórum local, prevaricação, favorecimento da entrada de celular em presídio (prevaricação imprópria), tráfico de drogas e envolvimento de regalias entre servidora e advogada.

Os servidores ainda continuam no cargo do governo de Goiás.