Alô Cileide, Karla, Fabiana, Zarur, Aesse e colegas: protestos são também contra a grande imprensa, não vão falar nada?

Em todo o Brasil – e também em Goiânia – os protestos de rua não são voltados só contra os Governos. O foco é também a grande imprensa, simbolizada pelo seu maior veículo – a Rede Globo –, mas também o SBT, a Record, os jornalões e, enfim, todos os veículos que compõem a mídia tradicional.

Em Goiânia, os profissionais do Grupo Jaime Câmara, que funciona na Serrinha, passaram por momentos de tensão, quando correu a notícia, na internet, que os manifestantes estavam se dirigindo para lá – com a provável intenção de fazer um ato contra a Rede Globo, cuja programação é transmitida em Goiás pela TV Anhanguera.

Lá de dentro, houve quem postasse, na hora, que a equipe estava fechando a edição de O Popular sob um clima de expectativa.

Mas a passeata se diluiu bem antes, na altura da Praça do Chafariz. Os veículos de comunicação do GJC não tocaram nesse detalhe na sua cobertura da manifestação.

Já temendo virar alvo dos protestos, os repórteres e cinegrafistas da TV Anhanguera trabalharam na cobertura da manifestação sem portar logotipos nem da Rede Globo nem do Grupo Jaime Câmara.

E aí: ninguém vai falar nada? Cileide Alves, Karla Jaime e Fábia Pulcineli, sempre tão críticas e dispostas a desvendar a verdade, vão ficar quietas? E Alziro Zarur, editor de O Hoje? Cadê você, Ulisses Aesse principal colunista do Diário da Manhã? Cadê os nossos bravos e vibrantes jornalistas?

Que silêncio constrangedor…!