Jornalistas fingem que protestos nada tem a ver com eles. Mas vão ter de fazer autocrítica também

A grande imprensa e os jornalistas, de modo geral, fazem cara de paisagem a respeito dos protestos de todo o Brasil quanto se trata de manifestações contra os veículos de comunicação.

Na verdade, eles também são alvos das reclamações.

E isso foi dito de forma muito explícita e violenta: carros de emissoras foram incendiados por acaso.

A chamada grande imprensa também não representa os manifestantes e reproduz um modelo que está anacrônico e ultrapassado.

Tanto é que demorou para perceber o caráter dos movimentos pelo País afora nem conseguiu enxergar essa insatisfação antes.

Não adianta disfarçar: assim como políticos, partidos, instituições, a imprensa e os jornalistas também precisam fazer sua autocrítica urgente.

 

LEIA MAIS:

Cileide faz a lista de alvos das manifestações e se esquece de incluir a “grande imprensa”

Artigo de Wanderley Faria é ato de lucidez em meio a festival de tolices na imprensa goiana

Alô Cileide, Karla, Fabiana, Zarur, Aesse e colegas: protestos são também contra a grande imprensa, não vão falar nada?

Alô imprensa goiana! Protestos também são contra vocês, que não representam a sociedade