Maguito faz “pequena reflexão” de meia página no DM e recorre a expressões que nem Daniel Vilela entende

O calhamaço do prefeito de Aparecida, Maguito Vilela, no Diário da Manhã deste domingo, é incompreensível para as novas gerações – justamente as que estão nas ruas e são o foco do texto do prefeito.

Maguito fala em “alarido das ruas”, “protestos que vieram a lume”, “urdidura de um novo projeto”, “brado inconformista”, “esposando idéias renovadoras”, “edificante tarefa”, ’clamor haurido dos sonhos da juventude”, “juventude altaneira e garbosa”, “proíbe retrogadar”, “estribado neste projeto”, “tempestiva reflexão e “cruzada cívica”.

Olha que palavrório mais atrasado e superado.

Mas, depois de pontificar com expressões e arcaísmos que nem o seu filho, deputado Daniel Vilela, seria capaz de entender, Maguito conclui o seu artigo com uma frase “profunda” e “brilhante”, prevendo que virão mudanças por aí como conseqüência das manifestações em todo o Brasil:

“Quem viver, verá”.