Tayrone defende adiar votação na Assembleia, mas negou a colega direito de conhecer projeto para votá-lo logo

Diz o ditado popular que o peixe morre pela boca.

Na última quarta-feira, por ordem do prefeito Paulo Garcia (PT), Tayrone di Martino (PT) votou contra o pedido de vistas do vereador Djalma Araújo (PT) ao projeto que autorizava o Procon municipal a gastar R$ 13 milhões para adquirir sua própria sede.

Veja bem: Tayrone negou ao colega o direito de conhecer melhor o projeto antes de votá-lo em plenário. Tudo isso porque o prefeito queria aprovar a matéria a toque de caixa.

Menos de 24 horas depois, nos microfones da Rádio 730, o vereador defendeu as manobras procrastinatórias do deputado Mauro Rubem (PT) para adiar a apreciação do Código Florestal. “Todo projeto pode ser melhorado. Quanto mais puder ser discutido e estudado a fundo, melhor”.

É ou não é um poço de incoerência?