Cadê a autocrítica? Levantamento mostra que maiores ataques à grande imprensa ocorreram em Goiânia

O diário O Hoje traz revelações interessantes neste sábado.

O jornal publica um levantamento da Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo, mostrando que, até agora, ocorreram 53 ataques à grande imprensa – jornalistas hostilizados e carros ou equipamentos depredados – no curso das manifestações de rua em todo o Brasil.

Mas um detalhe é do maior significado e da maior importância: a cidade que registrou o maior número de ataques foi… Goiânia.

Podemos concluir que, se há insatisfação da população com a grande imprensa brasileira, essa insatisfação é ainda maior em Goiás?

O levantamento revela que quatro veículos de grandes órgãos de comunicação foram vandalizados em Goiânia: dois da TV Anhanguera, um da TV Serra Dourada e um do jornal O Popular (este configurando o primeiro ataque a um jornal impresso em todo o país). Um repórter da TV Anhanguera foi agredido aos gritos de “imprensa nojenta, não me representa” e a sede da TV Serra Dourada foi apedrejada.

Na verdade, o levantamento errou: foram cinco os veículos depredados. Faltou na conta um caminhão do Grupo Jaime Câmara, também danificado nos protestos da segunda-feira passada.

Ou seja: a grande imprensa goiana é recordista em matéria de rejeição e insatisfação popular e transformou-se em alvo da ira santa dos manifestantes de rua.

 

LEIA MAIS:

Jornalista do POP critica políticos, mas se esquece que a grande imprensa também é alvo dos protestos

Record usa carro sem logo para cobrir protestos desta quinta em Goiânia

Blog 24 Horas avisou, equipe do POP ignorou: há insatisfação das ruas com a grande imprensa

A mídia também está sob ataque. Leia artigo de Marcelo Coelho (Folha)

TV Anhanguera tenta minimizar ataque a veículos do GJC e diz que só haviam “oito ou dez vândalos” no protesto. Qual é?

Repórter começa com logotipos do GJC e Globo, afina e termina reportagem sem nenhuma identificação

“Imprensa nojenta, não me representa”, gritam manifestantes para repórteres da mídia tradicional em Goiânia. Tá ficando grave!

Ataque a carro de O Popular é o primeiro contra um jornal impresso em todo o país

Ataque dos manifestantes à grande imprensa deixa jornalistas perplexos e desorientados