Veja a íntegra do discurso de Simeyzon Silveira, o mais confuso desta quinta-feira

O site Goiás 24 Horas disponibiliza, neste espaço, o discurso mais embaraçado desta quinta-feira: o de Simeyzon Silveira (PSC), que surpreendeu negativamente a todos a ceder aos ataques e ofensas que recebeu recolocando suas assinaturas dos requerimentos para CPIs.

Leia.

Senhor presidente, o que me trás aqui hoje, e eu me sinto na obrigação de me pronunciar, em relação ao que foi citado do meu nome de ontem (quarta, 6) e hoje (quinta, 7). Todas as críticas e elogios nos levam a refletir. Antes de pronunciar sobre o tema CPI, quero fazer um breve parêntese, sobre o que coloca em xeque a minha integridade, a minha história. Eu não caí de paraquedas aqui na Assembléia Legislativa. Tenho militado na vida pública com muita ética, tenho conquistado as coisas na vida pública com muito trabalho. Se alguém tem dúvida sobre a minha história pergunte na Câmara Municipal sobre quem foi o vereador Simeyzon, pergunte no ciclo que eu convivo, nas igrejas que eu convivo, quais são as minhas ações, o que faço pela minha cidade, pelo meu estado, minha família. Meu pai fez 40 anos de ministério, sem falsa modéstia minha família fez uma bela história em Goiás. Certo que algumas coisas na minha vida são inegociáveis, nada que desonrasse a minha família, as pessoas que acreditam em mim, que militam comigo por uma causa. Mas na vida a gente precisa tomar decisões, que as vezes mexem com nossas questões, mexem com paixões, questões políticas.

O primeiro dia que entrei no plenário, confesso senhor presidente, que ainda meio por fora do “ninho”. Não fui informado por CPI, não recebi nenhuma ligação de CPI, assinei porque achava um rito, algo necessário para o andamento dos trabalhos da casa; retirei minha assinatura da CPI após analisar os autos, por ver incapacidade técnica de se implantar 5 CPIs nessa casa, achei que por esses equívocos era inconveniente contar com meu apoio.

O meu ato de retirar a assinatura é legítimo, não é ilegal, não é imoral, não estou cometendo um crime. Se acho que uma matéria não pode contribuir para o povo que represento, não posso ser obrigado a assinar

Hoje pela manhã fizemos uma avaliação profunda com o nosso grupo político. O meu projeto político é com Vanderlan Cardoso, essa manhã estive com ele, Vanderlan ficou chateado com minha posição, tivemos uma longa conversa, ele sabe como desejo ver nesse estado um homem técnico como Vanderlan governando. Estou defendendo com unhas e dentes esse projeto. Continuo na oposição, mas muitas coisas tem colocado em cheque a minha palavra, inclusive algumas declarações que eu me vendi. Que teria recebido dinheiro para retirar meu nome das CPIs. Olha, isso é muito sério. Eu não negocio, não faço barganhas em troca de favores pessoais, tudo em respeito ao que acredito, ao que sei que é a verdade.

Estou aqui reafirmando minha assinatura na CPI, para que não haja questionamentos torpes sobre a minha vida, sobre quem eu sou, em relação às minhas ações. Quando eu tomar uma decisão aqui nessa casa, será em razão da minha consciência, mas reafirmo os erros de CPI, que não fui consultado, que a oposição repense a forma de agir. A minha história foi construída com muito trabalho.