Após fim do regime militar, SNI vigiou Marconi por ação política e Iris por evolução patrimonial

O Arquivo Nacional, em Brasília, guarda documentos da ditadura militar mostrando que o Serviço Nacional de Informações (SNI) fez investigações tanto sobre o atual governador Marconi Perillo quanto sobre o ex-prefeito Iris Rezende.

Os dois foram monitorados mesmo após o fim do regime militar, em 1985.

O detalhe interessante é que os documentos do Arquivo Nacional evidenciam que Marconi foi investigado em função das suas atividades políticas, por discursos em comícios e por frequentar reuniões onde apareciam outros políticos tidos como “esquerdistas”.

Já no caso de Iris Rezende o foco foi diferente. Iris, já eleito governador de Goiás, teve a sua espetacular evolução patrimonial acompanhada pelo SNI.

Há informes em que são feitas recomendações para que as investigações sobre o patrimônio de Iris fossem realizadas com a maior discrição possível, já que ele era um dos governadores de oposição do país.