Pampinha explica a dona Iris que ela só poder ser nome de obra pública depois de morrer

O colunista das mulheres peladas da última página do Diário da Manhã, Luiz Augusto Pampinha, esclarece, na edição desta sexta-feira, que a deputada federal dona Iris Araújo (PMDB) tem de se conformar com a retirada do nome dela da Maternidade Dona Iris.

Pampinha lembra o detalhe de que dona Iris está viva e que, no Brasil, de acordo com a legislação em vigor, só os mortos podem receber esse tipo de homenagem.

Nesta semana, o Ministério Público Estadual, depois de instar a Prefeitura de Goiânia a mudar o nome da Maternidade, sem resposta, entrou na Justiça com ação civil pública contra o prefeito Paulo Garcia (PT) para obrigá-lo a cumprir a lei e tirar dona Iris da fachada da Maternidade.