“Manifestação” de araque da UEG tinha 50 pessoas. 80% da universidade já funciona normalmente

A “manifestação” dos alunos e estudantes da Universidade Estadual de Goiás, nesta quinta-feira no Centro de Goiânia, foi um vexame.

A UEG tem mais de 19 mil alunos e 2.500 professores. Na “manifestação”, apareceram no máximo 50 pessoas. A universidade está em “greve” de araque: das suas 42 unidades, espalhadas pelo interior do Estado, 32 funcionam normalmente.

As reivindicações dos “grevistas” já foram todas atendidas pelo Governo do Estado, mas, milagre, ninguém é capaz de fazer. Alguns “malucos” da UEG fazem exigências absurdas e insistem em um discurso absolutamente incompatível com a condição de universitários, com agressões de baixo nível, violência e palavras de baixo calão.

Os jornais e as televisões noticiam a “manifestação” dos estudantes e professores da UEG, mas nenhum cita o ridículo número de participantes. Como é que 50 pessoas têm a pretensão de falar por mais de 20 mil? Só em Goiás. E a grande imprensa dá apoio.