Metade dos voos de Alcides em aviões do Estado foi por motivos particulares, diz MP

Que os fatos do passado sirvam de lição para d.Iris, flagrada usando dinheiro público para passear em Porto Alegre, Bento Gonçalves e Rio de Janeiro:

A ação proposta pelo Ministério Público em 2012 que pede a condenação do ex-governador Alcides Rodrigues e da ex-primeira-dama Raquel Rodrigues por improbidade administrativa relata um cruzamento de dados feito pelo promotor Fernando Krebs com base na agenda oficial do ex-governador.

O cruzamento constatou que 750 dos 1.348 voos do casal em aviões do Estado entre 2006 e 2010 não tinham nada a ver com a agenda de compromissos de Alcides. Eram viagens particulares, pagas com dinheiro público.

O prejuízo estimado pelo Ministério Público é de R$ 3,82 milhões. O promotor Fernando Krebs pede a suspensão dos direitos políticos de ambos por, no mínimo oito anos e multa equivalente ao triplo do prejuízo causado.