Assembleia com pouco mais de 80 pessoas “decide”, em nome de 19 mil alunos e 2.500 professores, manter a “greve” na UEG

Pouco mais de 80 pessoas se reuniram na sexta-feira no ginásio da UEG e “decidiram” manter a greve na instituição.

O reduzido plenário tomou a decisão sem ter a delegação dos 19 mil alunos e 2.500 professores da universidade.

A “greve” afeta menos de cinco unidades da UEG. O resto, mais de 95%, funciona normalmente.

O movimento também foi considerado ilegal pela Justiça, mas os “grevistas” decidiram peitar a determinação judicial.