Euler Belém: apreensão domina Grupo Jaime Câmara com a iminência de uma reformulação (com muitas demissões)

Em sua tradicional coluna Imprensa, no Jornal Opção deste domingo, o editor-chefe Euler Belém revela que uma espécie de “pânico” tomou conta do corpo de funcionários do Grupo Jaime Câmara.

O motivo? Com a posse de Cristiano Câmara na presidência do GJC, são aguardadas medidas de reformulação da empresa, obviamente centradas em demissões (e substituições) em todo o quadro de profissionais.

As recentes manifestações em Goiás colocaram o Grupo Jaime Câmara contra a parede: pela primeira vez em sua bem sucedida história, a atuação editorial da TV Anhanguera e do jornal O Popular foi questionada, em um indicativo de distanciamento em relação aos interesses da sociedade.

Segundo Euler, até mesmo o diretor de Jornalismo, Luiz Fernando Rocha Lima estaria ameaçado – mais afeito ao estilo tradicional, que é tudo que Cristiano Câmara estaria objetivando varrer dos veículos de comunicação do GJC, para se adaptar aos tempos modernos e à guerra pela conquista de espaço na internet. “Nando”, como é conhecido, pode ter chegado ao fim do seu período, digamos assim, de contribuição para com a família Câmara – pelo menos no atual posto que ocupa.

Veja a nota de Euler Belém:

 

Demissões à vista no Grupo Jaime Câmara

O clima é de apreensão no Grupo Jaime Câmara. O novo presidente, Cristiano Roriz Câmara, tem projetos arrojados e está disposto a cortar executivos que não estejam dispostos a acompanhá-lo na jornada que se inicia.

O diretor de Jornalismo da TV Anhanguera, Orlando Loureiro — que os repórteres, nos bastidores, chamam de “Orlando Furioso” —, foi promovido e vai dirigir também as demais emissoras da empresa. O grupo nega que se trata de um interventor da Globo. Mas esta orienta e pressiona as retransmissoras de sua programação a se tornarem independentes em relação aos governos e mais próximas da sociedade e da iniciativa privada.

Na semana passada, a redação do Jornal Opção foi inundada de e-mails sobre demissões de funcionários nas áreas de informática e eletricidade.

Comentou-se inclusive sobre o afastamento do diretor de Jornalismo do GJC, Luiz Fernando Rocha Lima. Ouvido pelo Jornal Opção na quinta-feira, 11, o diretor disse que vai continuar na empresa, e no mesmo cargo.