Vassil diz que Pesquisa Serpes complicou a vida da oposição: sem favorito, qualquer um pode ser candidato

O comentarista político Vassil Oliveira voltou a publicar artigo no site Diário de Goiás, agora pontificando sobre a Pesquisa Serpes publicada por O Popular neste domingo último.

Vassil acha que a pesquisa expôs a fragilidade da oposição em Goiás, que ele chama de “amadora”, afirmando que ela quer ganhar “no grito e na intuição” (uma velha crítica que Vassil faz à oposição, que não consegue fazer contraponto para o “profissional” Marconi Perillo).

O comentarista entende que a pesquisa Serpes, ao mostrar vários nomes de oposição relativamente situados do ponto de vista competitivo, acabou prestando um desserviço ao grupo: agora “todos têm chance, não há favorito”.

Ele conclui lembrando que a oposição, em Goiás, só venceu as eleições quando se apresentou unida, inclusive citando o exemplo de 1998, quando Marconi Perillo foi o candidato único e conseguiu vencer o então todo poderoso Iris Rezende.

Segundo Vassil, a oposição goiana vai mal e “continua passos atrás, quando deveria estar pelo menos um ou dois passos à frente”.