Insatisfação com políticos em geral motivou protestos de rua em junho, diz pesquisa Sensus

Veja matéria publicada no site da Folha de S. Paulo sobre a pesquisa Sensus/CNT:

Insatisfação com políticos em geral está por trás dos protestos, diz pesquisa
FERNANDA ODILLA
DE BRASÍLIA

A maioria dos brasileiros acredita que os protestos que tomaram as ruas do país em junho foram direcionados contra os políticos em geral, mostra pesquisa divulgada nesta terça-feira (16) pela CNT (Confederação Nacional do Transporte).

Questionados contra quem os protestos eram dirigidos, 49,7% escolheram “políticos em geral” como resposta, 21% disseram “sistema político no Brasil” e 15,9% afirmaram ser a presidente da República. Governadores e prefeitos foram selecionados por 5,9% dos entrevistados e deputados e senadores por 2,1%.

“Há uma insatisfação geral contra os políticos, em especial contra os governantes”, diz Clésio Andrade, presidente da CNT, entidade que encomendou a pesquisa ao instituto MDA.

Ele afirma, contudo, que apesar de a presidente Dilma Rousseff ter sido a mais citada se comparado com os outros políticos, não é possível afirmar que ela foi o principal alvo das manifestações que contaram com aprovação da maioria dos entrevistados.

Segundo o levantamento, 60,7% das pessoas disseram de forma espontânea ter tomado conhecimento sobre as manifestações via Facebook e 38,5% por sites de notícias. Também foram mencionados o aplicativo de celular WhatsApp (3,3%), e-mail (2,5%), Twitter (2,5%), SMS (2,5%), Instagram (1,3%). Outros 20,5% disseram que foi de outra forma, não especificada no levantamento.

Foram entrevistadas 2.002 pessoas, em 134 municípios de 20 estados, das cinco regiões, entre os dias 7 e 10 de julho de 2013. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais para mais ou para menos.

Nesse cenário de insatisfação geral, os entrevistados apontaram o fim da corrupção (40,3%), melhorias na saúde (24,6%) e reforma política (16,5%) como as reivindicações mais importantes das manifestações. Quando questionados sobre o motivo dos protestos, as respostas mais citadas são insatisfação com corrupção, qualidade dos serviços de saúde e com gastos da Copa 2014.

A maioria dos entrevistados também afirmou que as manifestações nas redes sociais e nas ruas podem interferir no resultado das eleições de 2014. “A eleição está em aberto”, afirmou Clésio Andrade.