Caiado reduz intervalo de amamentação de mães servidoras de 30 minutos a cada três horas para apenas uma hora por dia

Numa demonstração de crueldade sem precedentes com servidoras do Estado que acabaram de dar à luz, o governador Ronaldo Caiado (DEM) incluiu, no projeto de reforma da Previdência em tramitação na Assembleia Legislativa, cláusula que reduz o período que funcionárias públicas têm disponível, durante o expediente, para amamentar os filhos. Passará de 30 minutos a cada três horas para 1 única hora diária. 

A esta maldade soma-se a proposta de acabar com os quinquênios (o que deixou sindicatos com cabelos em pé) e de aumentar a alíquota de contribuição, que em vez dos atuais 14,5% será de 22,5%.