Filemon analisa oposição e acusa igrejas de se venderem aos governos

Em artigo publicado na edição do Tribuna do Planalto desta semana, o jornalista Filemon Pereira fala da polêmica da retirada das assinaturas dos requerimentos de formação de CPIs na Assembleia Legislativa, mas deixa a revelação mais pesada ao fazer análise do comportamento do deputado Simeyzon Silveira.

Segundo Filemon, ninguém conta com Paulo Cezar como deputado de oposição, a não ser para fazer número. “Já Simeyzon, que assumiu mandato agora, deve sua eleição a igreja liderada pelo pai. Não se tem notícia de igreja que faça oposição a governo. Ao contrário, todas elas gostam de estar próximos aos governantes, sejam eles quais forem.”

Filemon diz ainda que já estava estampado que, ao fim e ao cabo, nem todos tinham perfil combativo.

O jornalista denuncia que alguns desses deputados possuem indicações de cargos no governo ou regalias na própria Assembleia, concedida na maior parte aos deputados da base do governo.

Fora isso, ainda há os parlamentares que têm receio da mão pesada do Palácio sobre suas bases eleitorais ou em seus grupos, igrejas, sindicatos, etc.

Denúncias graves que merecem ser comprovadas pelo jornalistas e apuradas pelo Ministério Público.