Para fugir de manifestantes, Paulo assina decreto em auditório fechado do Paço

A assessoria do prefeito Paulo Garcia (PT) justificou o seu alto salário ao determinar que o evento público da manhã de hoje fosse, digamos, não tão público assim.

Paulo assinou decreto que altera o regime de trabalho de alguns servidores da saúde, como médicos. Na prática, o prefeito concedeu privilégios a determinadas categorias, mas deixou outras de fora. E quem não foi beneficiado está chiando muito.

Na Câmara, quando o projeto foi à apreciação dos vereadores, uma claque barulhenta de servidores atacaram o prefeito e os vereadores da base de sustentação do Paço. Por conta da pressão, houve inclusive vereadores aliados que votaram contra os interesses da prefeitura.

Hoje de manhã, Paulo não falou da polêmica. Promoveu um evento semi-público, só para os beneficiários, e voltou para o gabinete.