PMDB ignora histeria de Dona Iris e perdoa deputados desertores do partido

Para usar o termo da jornalista Marina Dutra, de O Hoje, “ficou só na conversa” a possibilidade de punição do PMDB contra os deputados estaduais Paulo Cezar Martins e Luiz Carlos do Carmo, que traíram a oposição e não assinaram os requerimentos para criação de CPIs.

O assunto foi discutido em reunião da Executiva estadual do partido, realizada na manhã de ontem. Conforme já noticiou o Goiás 24 Horas, houve apenas advertência verbal aos desertores. Nada além disso, como exigia a deputada federal Iris de Araújo em acessos de histeria no Twitter.

A justificativa dada pelo presidente do PMDB, Samuel Belchior, é a de que a bancada peemedebista na Assembleia não se reuniu uma vez sequer para deliberar sobre a criação de CPIs.

A única reunião ocorrida foi no mês passado, quando todos os partidos de oposição decidiram elevar o tom das críticas contra o governo.

“Foi um erro tremendo, porque a CPI seria um mecanismo para mostrar os erros do governo. Eu tenho certeza absoluta de que a comissão chegaria à conclusão de que já se gastou o dobro com o Rodovida”, afirma Samuel.

O deputado federal Leandro Vilela considera que houve apenas um “desencontro” na bancada. “Eu não vi o ato dos deputados como um ato de má-fé”, afirmou.