Piada: PMDB gasta um mês para editar e publicar vídeo de Catalão, com Iris dizendo que é o “escolhido” de Deus

O “plano estratégico de comunicação” do PMDB é mais lento que uma tartaruga: somente nesta quinta-feira, um mês depois do encontro regional realizado em Catalão (no dia 8 de junho), um vídeo com a fala do ex-prefeito, ex-governador, ex-ministro e ex-senador Iris Rezende foi finalmente colocado no site do partido.

É de morrer de rir: Iris revela em tom sério que “o povo está morrendo à míngua” e faz raciocínios esdrúxulos, por exemplo, ao criticar as Organizações Sociais que estão administrando os hospitais estaduais (aliás, com sucesso) e dizer que o Governo “não tem competência para nomear um diretor de hospital”.

O que será que Iris quis dizer com isso? Qual a relação entre administrar hospitais via OSs e “nomear um diretor de hospital”?

Aliás, segundo Iris, no mesmo vídeo, “os hospitais estão caindo”.

Opa. Essa é séria: “hospitais caindo”? Onde? Em que lugar? Iris, claro não informa.

Em, seguida, Iris passa para a Educação e anuncia que “nós criamos a Universidade Estadual de Goiás” – hummmm…. essa doeu. Nós, quem? O PMDB? Ah, não brinca…

O próximo tema de Iris é a segurança pública. Segundo o velho cacique peemedebista, “o povo hoje tem medo de sair de casa à noite”. Onde? Em Goiânia? Não pode ser. Em Aparecida? Também não pode ser. Em São Paulo? Aí…

O que vem na sequência é “genial”. Iris pergunta “quem é que pode salvar Goiás?”; E faz uma descrição do perfil ideal, claro, o dele mesmo. Júnior Friboi, sentado ao lado, se mexe todo nervoso. Iris recorre ao seu velho truque religioso e avisa: “Estou, sim, pensando em eleição no próximo ano. Porque, se eu ficar indiferente, omisso, ao futuro de Goiás, eu estarei negando diante de Deus tudo que ele me determinou no dia em que me fez político”.

É a velha estória de sempre: Iris usando o nome do bom Deus para justificar os seus projetos. Foi Deus que “determinou” que ele se transformasse em “político” para “salvar” Goiás e impedir que “o povo continue morrendo à míngua”.

Não acredita? Está lá, no site do PMDB estadual, como parte do “plano estratégico de comunicação” do presidente Samuel Belchior.